Google+ Followers

domingo, 25 de maio de 2008



Eis que Lena Luci, em plena menopausa, resolveu encarar a síndrome do ninho vazio... E o que ela viu que vocês também não conseguem ver nas tabuletas saidas do tal ninho? Advinhem... Estava escrito:

- Vai te catar!

- Estuda inglês!

- Viaja!

- Escreve um livro!

- Faz artesanato!

- Vai ser voluntária numa clinica!

terça-feira, 20 de maio de 2008

Para que não esqueçamos jamais!

"Independentemente de partidos e facções, os vereadores devem lembrar-se realmente, de quem participou dos Anos de Chumbo e mesmo do que foram torturados e/ou assassinados. Para que, principalmene os jovens, saibam que no Brasil houve uma luta pela afirmação dos Direitos Humanos hoje, e não os banalizem:muito sangue, suor e idéias de liberdade foram necessários para que a liberdade-inclusive a de imprensa-pudesse se processar na vida dos brasileiros." Recomendo blog de Clevane Pessoa que assim nos fala.
http://clevanepessoa.multiply.com/tag/dan%C3%A7a

Neuza Ladeira, poeta, pintora, também Consul de Poetas del Mundo, e que sogreu tortura nos anos de chumbo com apenas 18 anos de idade, também foi homenageada.

Homenagem merecida



Foi na Câmara Municipal de Belo Horizonte





O Professor Luiz Lyrio, a direita da foto, Cônsul de Poetas del Mundo na cerimonia da Câmara Municipal de Belo Horizonte, lançará neste ano (em outubro), a edição ampliada de "Nos Idos de 68", pela editora Mazza e prefácio do jornalista Alécio Cunha (Jornal Hoje Em Dia) Recebeu a homenagem - o troféu, muito lindo e abstrato, representa homem, mulher - e o Mundo.
Recomendamos o blog sempre repleto de suas boas crônicas e noticias. Vai ai o endereço:

quarta-feira, 14 de maio de 2008




Fuga

Maria J fortuna



Com seus cavalos dourados
Ela cruzava o fio do tempo
Eram sonhos
Crinas soltas ao vento
Incrustados de desejos
Nasciam feito perolas
Semeadas no mar
Ao sabor do sal
Das estrelas marinhas
Pouco percebia o mundo do maia
Cabeludo, ciclope de ervas más
Não podia domar cavalos selvagens
Então resolveu cavalgar num deles
E fugiu sem olhar pra trás...
No momento que escrevi este último texto coloquei o "Monteiro" repetido, por excesso de entusialmo. Leia-se Paulo Alberto Moretzsohn Monteiro de Barros, o Arthur de Távola ...

Artur e Irena


Paulo Alberto Monteiro Moretzsohn Monteiro de Barros e Irena Sendlerowa partiram quase no mesmo dia. Estes dois grandes espíritos fizeram-me pensar na busca do Santo Graal. O homem, cavaleiro defensor da Beleza na poesia e na musica e a mulher guerreira que que teve pernas e braços quebrados por salvar a vida de centenas de pessoas na segunda guerra. Parecem papeis invertidos, mas não são. Artur procurou a taça que guarda a essência mais pura que inspira toda arte. Irena, a espada que defende esta mesma essência com discernimento, compaixão e coragem. O feminino no masculino e vice versa.

Não é atoa que Paulo Alberto adotou o pseudónimo de Artur da Távola.

São exemplo que alimentam a esperança dentro de nossos corações.

Um minuto de silencio por Irena





Morreu Irena Sendler, a heroína polaca que salvou 2500 crianças do Gueto de Varsóvia



12.05.2008 - 10h26 Agências




A polaca Irena Sendler, que salvou cerca de 2500 crianças de serem encaminhadas para campos de concentração nazi, morreu hoje, aos 98 anos, informou a sua família.Sendler foi considerada como uma das grandes heroínas da resistência polaca ao nazismo, tendo estado nomeada para o Prémio Nobel da Paz. A filha de Irena Sendler, Janina Zgrzembska, anunciou hoje que a sua mãe morreu num hospital de Varsóvia.Sendler organizou a saída de cerca de 2500 crianças do Gueto de Varsóvia durante a violenta ocupação alemã, na Segunda Guerra Mundial. Ela - que trabalhava como assistente social - e a sua equipa de 20 colaboradores salvaram as crianças entre Outubro de 1940 e Abril de 1943, quando os nazis deitaram fogo ao Gueto, matando os seus ocupantes ou mandando-os para os campos de concentração.Durante dois anos e meio, Irena Sendler conseguiu ludibriar os nazis e fazer sair do Gueto adolescentes, crianças e bebés - muitos deles disfarçados sob a forma de pacotes - e enviá-los para o seio de famílias católicas, para orfanatos, conventos ou fábricas. Em Varsóvia viviam 400 mil dos 3,5 milhões de judeus que habitavam a Polónia."Fui educada na ideia de que é preciso salvar qualquer pessoa [que se afoga], sem ter em conta a sua religião ou notoriedade", dizia Irena Sendler.Nascida a 15 de Fevereiro de 1910, a figura de Irena Sendler permaneceu relativamente desconhecida na Polónia, à imagem de Oskar Schindler, que morreu na pobreza, mas que viria a ser imortalizado no cinema pelo realizador Steven Spielberg na película "A Lista de Schindler".Só em Março de 2007 a polaca foi homenageada de forma solene no seu país, tendo o seu nome sido proposto para o Prémio Nobel da Paz. Em 1965, porém, o memorial israelita Yad Vashem tinha já atribuído a Sendler o título de "Justo Entre as Nações", reservado aos não-judeus que salvaram judeus.

sexta-feira, 9 de maio de 2008

Artur partiu dormindo...


Não devia morrer gente com jeito de passarinho, onde música, poesia e beleza se misturam!

Artur da Távola se foi... Agora meu domingos pela manhã vão ficar tristes... Eu assistia seu programa Quem tem medo de música clássica? Uma lição de descodificação dos mais rebuscadas e sofisticadas operas e peças musicais célebres. Aprendi muito com ele!

Sempre amei suas crônicas e poesias! Sempre gostei de ouví-lo falar no final de cada programa que musica é vida interior e quem tem vida interior jamais sofrerá de solidão!

Artur que morreu dormindo aos 72 anos, certamente foi recebido por Wagner, Chopin, Piazzola, Bethoveen e um punhado de anjos alegres que vieram recepcioná-lo também. Afinal ele merece também um concerto especial.

quinta-feira, 8 de maio de 2008

Tempo de Coerência


Maria J Fortuna

Toda nossa vida é uma constante interrogação de quem sou eu, porque eu vim ao mundo. O significado da própria vida se esvai por entre os dedos a todo instante. As causas dos sofrimentos são várias, mas o maior deles é: não me acolho porque não me reconheço. Por suposto quem consegue trilhar este caminho tem muita dificuldade para encontrar-se. Como conseqüência, não há refúgio dentro de si quando o mundo mostra sua crueldade que vem sempre em forma de mentira.
Todas as vezes que tudo parece ruir dentro de nós mesmos, sentimos um sabor amargo de traição, ou seja, estamos negando o verdadeiro ser. Todas as vezes que temos a morte é porque encontramo-nos apartados de nós mesmos. O filósofo Sócrates podia ter pedido clemência ao ser condenado a morte, mas agindo assim não seria coerente com sigo próprio. A consciência da verdade tinha, para ele, maior calor que a própria vida.
Grande massa de população no mundo assimilou enorme código religioso de forma cega. Não se auto-referencia no amor. Vive ainda na Lei de Moisés “Olho por olho, dente por dente” Por causa de uma interpretação errônea das Escrituras e a partir de seus dogmas. Faz parte de um grande exercito do que, com isto, avassalam a humanidade. As massas se nomeiam juízes a partir do que crêem. E isto é muito perigoso! Novamente citando o filosofo grego Sócrates, a virtude e o saber se identificam. O ser humano só agiria mal por ignorância.
Quais dirigentes dos Países da Terra acham-se em estado de coerência? Para haver coerência temos que ter princípios. E se eles existem, quais são eles e como pessoas que não trazem dentro de si amor e respeito pelos outros podem ter bons princípios e idéias? Podem dirigir nações?
Pronunciar o nome Jesus em nossos tempos causa certo incomodo na maioria das pessoas não “crentes”, por causa das inúmeras seitas que assolam nosso País, onde grandes barbaridades não cristãs são realizadas em seu nome. Bush é cristão e diz ter invadido o Iraque por causa de sua missão ligada ao cristianismo. Houve desgaste do nome, por isto prefiro chamá-lo pelo seu nome em aramaico – Joshua.
Historicamente, Joshua foi perfeitamente coerente com seus mais elevados princípios. Dentro disto, o maior dos homens de que temos noticia até hoje. Sua trajetória até sua trágica morte por afirmação desta coerência.
Na escala mais modesta gente como Gandhi, Martin Luther King, Tereza de Calcutá. Dorothy Yang e outros que graças a Deus existiram e existem. Em estado de coerência trouxeram luz para a humanidade mergulhada na ignorância. Com suas referencias internas ao exercício do bem. No seu trabalho em prol a humanidade, dispostos a morrer sem trair sua missão. Todos viviam em harmonia e em suas metas se realizaram.
Pessoas de todas as raças e religiões morrem por esta coerência. Pela verdade reconhecida dentro de si mesmo. Uns são mártires por sua ideologia, como aconteceu com Che Guevara; outros pela religião e em nome da paz, como muitos sufis mulçumanos Al Hallaj e Soravardhi, judeus como Izaque de Castro, Elie Wiesel e inúmeros cristãos lembrando o apóstolo João Batista e o apóstolo Paulo.
Joshua, a meu ver é a maior das referencias, independente de toda e quaisquer religião. Ele sabia exatamente Quem era ele. E porque tinha vindo ao mundo. Não há outro caminho que o do sentir que nossa existência está ligada a realização no amor e na transformação por ele. Se chegarmos um pouquinho perto deste exemplo, a vida adquire enorme sentido, mesmo que estejamos sofrendo muito, sem aparente lógica. Isto não traz alivio para esse sofrimento Não o justifica, mas ajuda-nos a aceitar as dores do mundo e o projeto de Deus em nossas vidas. Mesmo negando a existência divina, o ser coerente não nega a verdade dentro de si mesmo. Betinho era ateu. No entanto seu amor e compaixão pelo próximo provocaram sua grande campanha pelos que tem fome.
O exercício da verdade, realizado desde a primeira infância, vai solidificando o cuidado e respeito da criança por si próprio, pelos pais e pessoas de um modo geral. O bom exemplo de coerência conosco mesmos, deixa-nos a vontade para educar o filho com amor e sabedoria, Vai trabalhando suas emoções, direcionando-as com cuidado a preservação do que existe de bom em si mesmo e no meio ambiente. A mentira passa a ser uma coisa incomoda como uma veste que não cabe no corpo e a pessoa insiste em usá-la. Como uma comida mal digerida. No entanto a insistência na mentira deforma de tal modo o caráter de uma pessoa que ela passa a achar muito normal seu constante desacordo consigo mesmo. Acostuma-se com esta desarmonia, como quando a gente insiste em calçar um sapato apertado durante anos, e caminha assim mesmo com ele, independente do incomodo.
Ao ver políticos esbravejando impropérios na TV, sem nenhum aparente tipo de sinal interior de harmonia, pergunto-me se chegarão à sepultura sem a benção da paz que o ser humano tanto necessita para viver. Fico me perguntando como conseguem mascarar tão bem suas verdadeiras intenções. Onde está a consciência do bem comum? Como pode usurpar do povo aquilo que lhes pertence em prol a benefício pessoal? Que tipo de inferno pode ser tolerável na mentira? Onde está a consciência do bem? Como podem se eleger no falso, causando mal a milhares de pessoas? A que ponto se camuflam na mentira...
Quem tem bons princípios, valores morais sólidos, experimenta a coerência devolve infinita liberdade do ser. Elimina o medo da morte. Quando Moisés teve seu encontro com Deus, a revelação da Identidade Divina foi:
- Eu sou Aquele que É.
Alguem tem alguma dúvida a respeito?

terça-feira, 6 de maio de 2008

Amigos,

Criei um novo blog de preces ao Criador.
Como tenho escrito muitos poemas misticos durante os últimos anos, achei que seria bom uma coletânea deles, dentro de um espaço em que eu pudesse partilhá-los com voces. Ao mesmo tempo que divulgar os poemas de autores que mais aprecio como Jalal ud- Din Rumi, mistico sufi do século XIII. São poemas de sol e de lua. De claro e escuro... daí por diante...
Se alguem quiser colaborar com poemas misicos de sua autoria, publicaremos neste novo blog bem mais fácil de postar comentários.

quinta-feira, 1 de maio de 2008

Momento poético




As mãos

Maria J Fortuna

Andávamos de mãos caídas
Mãos irmãs
Mãos ligadas Juntas,
Não chegavam a formar um poema
Aquele do céu azul
Ou do branco das nuvens
Aquele da rosa
Ou da estrela prateada
Depois veio a noite sombria dos cisnes
E as mãos se inundaram no lago
Só aparecia a alvura dos príncipes
Aconteceu que a primeira mão se estendeu
Não sei se a tua,
Não sei se a minha
Não para colher a lua, tão distante...
Mas para esperarmos,
Juntos
A alvorada de uma fresca manhã
Aconteceu também
Que elas juntas
Escreveram na areia molhada
A palavra Amor
E não mais se separaram
Para que, enfim,
Brotasse o poema perdido.


Livro recomendado

O caçador de pipas de Khaled Hosseini. Um livro entre os dez melhores do ano. Foi feito até um filme baseado na história que estava em cartaz no Rio de Janeiro até pouco tempo. Muito bom livro mesmo. Foi lido e apreciado por uma das maiores escritoras do nosso tempo: Isabel Allende. " Esta é uma das histórias inesquecíveis, que permanecem na nossa memória por anos a fio... " E eu concordo com ela.

Lena Luci e o fogacho


Amiga: - Bateu, valeu, se fudeu!
Coitado...
LenaLuci (pensando...) - Péssima hora pra fogachos...

Quem sou eu

Minha foto
Sou alguem preocupado em crescer.

Arquivo do blog

Páginas

Postagens populares