Google+ Followers

domingo, 8 de dezembro de 2013

Lágrimas


 

 
 
Maria J Fortuna

 

De onde me vem esta tristeza que brota às golfadas da alma? Quem me machucou? Por que não estou conseguindo mais sorrir? Por que meus olhos estão mergulhados em lágrimas que insistem em não me descer pelo rosto? Para responder a essas indagações da mente, deixe primeiro rolar toda essa água represada. Lave o rosto com elas, tire a máscara de “tudo bem” e mostre-se frágil.  Não espere que o melhor amigo, aquele que não o julga, esteja por perto. Bote a boca no mundo ou derrame-se em lágrimas, quando a dor fica insuportável.  Por que tanta vergonha de chorar se você nasceu chorando? A gente chora quando respira o mundo! Não é fácil, e bastante arriscado viver. Por isso é importante procurar o alivio das lágrimas, por que não?
 Até hoje não sei quem me disse que chorar é feio.  Uma praga jogada isso! Lembro-me do meu pai chorando quando o filho foi gravemente acidentado. Foi quando eu o senti humano. Naquela época, homem não chorava. E meu coração se encheu de compaixão por ele.  Quando alguém conseguia se debulhar em lágrimas, era criticado ou interpretado como pessoa fraca, sem controle sobre si mesmo. Tenho uma tia de 103 anos que nunca vi verter uma só lágrima.  Diz ela que são poucas as mulheres que ficam bonitas quando choram. Seria por causa disso? Ela sempre foi muito vaidosa. Pinta os cabelos até hoje.
Não dá para ficar espremendo o coração sem que o pranto escape pelos olhos. Florbela Espanca escreveu em um dos seus poemas:
“E as lágrimas que choro, branca e calma,
Ninguém as vê brotar dentro da alma!
Ninguém as vê cair dentro de mim!”
A dor silenciosa, aquela que ocultamos dentro de nós sem que deixemos transparecer para o mundo, talvez com medo de julgamentos ou de ser chamado de descompensado, se não borbulhar para fora e cair aos borbotões, deixa-nos com aquele ar de melancolia, de olhar triste   sem sorriso.  
Outro motivo que alguns alegam para reprimir o pranto é não preocupar a pessoa que amam quando está por perto. Mas se eu acolho ou tolero seus desabafos lacrimosos, por que não mostrar que necessito desse acolhimento?
É tão simples chorar. As crianças o fazem com tanta simplicidade... Por que se negar a este conforto?

Um comentário:

Margaret disse...

Muito lindo texto! É preciso ter coragem para mostrar as nossas fraquezas e chorar.Suas palavras me emocionaram.

Quem sou eu

Minha foto
Sou alguem preocupado em crescer.

Arquivo do blog

Páginas

Postagens populares