Google+ Followers

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Insônia

Maria J Fortuna
A noite se deita dentro de uma sutil leveza escondendo o peso das expectativas dos dias, semanas e anos seguintes. É o que posso expressar no sentir do passar das horas, minutos e segundos.
Ouço todos os ruídos em som alterado. Todo ruído, por menor que seja, é interpretado como possível ameaça! É a hora da solidão vestida de madrugada. E o que significa esta senhora quando não conseguimos dormir?
Ouço o barulhinho irritante de um mosquito que parece preso entre os lençóis na cabeceira da cama. Depois de xingar , sacudi-los com força, liberto o inseto e constato que ele não saia dali porque estava preso. Foi a primeira vez que senti pena de um mosquito!
Há um zumbido em meus ouvidos que pulsam como se o coração estivesse dentro de cada um deles . É a percepção do silencio que se faz como um véu derramando-se sutilmente na escuridão desta fatia da Terra que se fez noite, testemunhada pela lua. Podia ser um momento para meditação ou para uma prece. Podia ser um momento para a leitura e para escrever algo como o faço agora, mas daqui a pouco sei que estarei com a mente exausta, dolorida e com aquela irritação própria das pessoas insones.
Não posso negar que é hora de dormir, mas que a solidão vestida de medo machuca minha alma e por isto não consigo confiar nos dias que virão. Todos eles serão dias sem ninguém por perto. Como uma criança sem seio para mamar. Perdida no meio da multidão procurando pela mãe. Como uma mulher sem amante para aquecer seu corpo. Como um pássaro sem ninho ou como um animal que perdeu o contato com seu grupo.
Fico pensando em quantos companheiros de insônia moram dentro dos prédios das grandes cidades... Quantos estão vendo TV , mordiscando qualquer coisa na cozinha. Abrindo e fechando geladeira...
A cidade a estas horas está cheia de mendigos que dormem. E parece que dormem bem, com toda ameaça dos incendiários que rondam seus corpos cansados, doentes e sujos. Será que existem mendigos que sofrem de insônia? Muitos dormem anestesiados pelo álcool em total falta de perspectiva para o dia seguinte.
Será que os políticos conseguem dormir? Ou dormem a custa de remédio tarja preta? Dificil dormir quando roubam milhares de brasileiros...
Há uma mãe caindo de sono para ficar com o filho que insiste em brincar no meio da noite. E o marido que trabalha a noite e não vem para casa lhe fazer companhia.
Há um movimento da natureza que descongela nos pólos e aumente o volume dos oceanos comprometendo a vida no planeta.
Não muito longe a guerra dos traficantes entre si e com policia, a guerra no Iraque, Palestina, Israel...
Se a quietude da paz lubrificasse as cordas do meu coração como o azeite nas cordas dos relógios, eu estaria entregue nos braços da Confiança e certamente dormindo apesar do barulho de dentro e de fora... Se eu pudesse...

4 comentários:

Marta disse...

Por vezes uma insónia acaba numa bela história :)
Eu não tenho problemas em dormir, mas quando durmo um pouco mais tarde dou por mim a ouvir sons que só de noite são possíveis, no seu silêncio, ainda possível.

Agradeço as palavras simpáticas que me deixou no seu comentário :)

Beijinho

Carla disse...

que texto belo e profundo
beijos

MJFortuna disse...

Recebi este email e o estou colando aqui como comentário

Recebi, através da REBRA, seu texto "Insonia", que gostei muito, parabéns!
E, resolvi espontaneamente escrever-lhe.
Meu nome é Rosane Zanini e também sou associada à REBRA e embora arquiteta
por profissão, procuro dedicar-me a fantástica tarefa de escrever, aprender
e trocar conhecimentos. Como primeira experiencia, acabo de realizar uma
antologia poética, reunindo os versos de amigos, que foi muito gratificante
contatar e reencontrar amigos e que será lancada na Bienal de São Paulo
agora em agosto e comeco a trabalhar em uma outra idéia, um projeto para um
livro cujo título seria "A Cidade em Nós", isto é; a cidade, o urbano que
está dentro de cada um... com forma de expressão livre, em prosa e/ou verso.
E quando "Insonia", imediatamente o senti como "integrante" desta idéia.

Sei que seu curriculo é amplo, mas se consegui despertar-lhe interesse com a
idéia de "A Cidade em Nós", por favor entre em contato!!!
Embora não consegui completar meus dados na página da REBRA, envio-lhe o
endereco para uma "pequena apresentacão":

http://www.rebra.org/escritora/escritora_ptbr.php?assunto=biografia&id=1430


Muito obrigada!
Atenciosamente,
rosane

putas resolutas disse...

obrigada, amiga, pela tua visita lá no putas resolutas - teu blog também está lindo...
besos
líria

Quem sou eu

Minha foto
Sou alguem preocupado em crescer.

Arquivo do blog

Páginas

Postagens populares