Google+ Followers

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Os Jardins de Monet






Maria J Fortuna







Esse passeio pelos recantos da França, definitivamente, trouxe-me a alegria de um contato muito intenso com a Beleza! É o de que necessitamos para nutrir nossas almas. Então, depois do espetáculo das aves, fomos ao encontro das flores em Giverny. Lá ficam Os jardins de Monet .
Embarcamos no trem na Estação Saint Lazare e descemos em Vermon. De lá, um táxi deixou-nos na antiga residência desse pintor extraordinário, cujas obras foram inspiradas nos seus jardins. E como posso descrevê-los em palavras? Creio que não seja possível. Só posso expressar o quanto me senti enlevada num espaço florido a céu aberto, onde o suave perfume de algumas flores tocou minha memória poética com intensidade! Nos Jardins de Monet, tudo brinca com tudo. O sol deita seus raios manhosos nesta época do ano, nas águas do riacho Ro que passa sob a famosa ponte em estilo japonês, indicando o Jardim aquático com suas lindas vitórias-régias, tão queridas do Mestre. Esse pequeno riacho reflete a imagem das flores em sua diversidade. Nunca vi tanta variedade delas espalhadas pelos canteiros, como se estivessem unidas na sutileza de um som que a gente não ouvia. Como sei que o som tem cor, eu escutava as flores, particularmente as orquídeas, que foram reproduzidas numa belíssima tela do pintor. Até atingir uma idade avançada, Monet semeou 1800 espécies diferentes de plantas. Seu jardim tem duas partes: um jardim de flores denominado Clos Normand, em frente à casa, e um jardim aquático japonês que fica do outro lado da estrada. Os dois jardins são contrastantes e complementam um ao outro.
O Jardim Clos Normand, é este a que me refiro em relação à diversidade das plantas. Ele é repleto de arcos de ferro, onde se enroscam, gostosamente, trepadeiras, e onde habitam as roseiras que produzem rosas de várias tonalidades nessa época do ano. Bambus e nenúfares também vicejam neste inicio de verão. Flores agrestes consideradas exóticas ali também estão.
Gostaria de ter fotografado todas, mas a voz do gondoleiro italiano tornou a ecoar em meus ouvidos: melhor contemplar... Nada reproduz toda aquela lindeza! Então pra registrar minha visita por lá, tirei algumas.
A casa de Monet está tal qual era quando ele a habitava. Com certeza era um homem caseiro, que gostava de ficar tranquilo em seu atelier para produzir suas obras-primas! A casa é grande, tem vários quartos e uma sala muito aprazível. É repleta de quadros japoneses, fotos de família e algumas de suas famosas telas. Ali, como no jardim, a gente sente a presença do artista em toda a casa e pelas paredes. Ouvi falar que os vizinhos achavam o pintor muito esquisito e puseram-se contra suas plantas que, segundo eles, podiam envenenar a água do riacho.
Vou postar algumas das fotos que tirei e um vídeo, encontrado no YOUTUBE, que mostra a beleza das obras de Monet. Foi um dia riquíssimo em minha vida!

2 comentários:

norália disse...

Monet! Monet! Dombes!Sainte Michel! Eurodisney! Que viagem deliciosa! Obrigada, Mariinha por compartilhar conosco tamanha riqueza!
Abraços,
Norália

MJFortuna disse...

Eliana Luppi, por email:


Belíssimo!
Que ótimo você repassar para nós e com toda a sua sensibilidade podermos
também sentir e apreciar as belezas que tocaram teu coração e consequentemente
os nossos.

Muito grata,

Eliana

Quem sou eu

Minha foto
Sou alguem preocupado em crescer.

Arquivo do blog

Páginas

Postagens populares